Acesse a sua conta getAbstract para obter o resumo!

A Guerra por Talentos

Acesse a sua conta getAbstract para obter o resumo!

A Guerra por Talentos

Como os militares e as grandes organizações conquistam os seus talentos

Lioncrest Publishing,

15 min. de leitura
6 horas poupadas
5 Ideias Fundamentais
Áudio & Texto

Sobre o que é?

Os militares americanos são recrutadores e formadores de ponta. O que eles podem ensinar aos profissionais de RH?


Avaliação Editorial

8

Qualidades

  • Aplicável
  • Exemplos Práticos
  • Cativante

Recomendação

As empresas desejam contratar candidatos com grande potencial e transformá-los em funcionários produtivos. O mesmo acontece com os militares. Mike Sarraille e George Randle, veteranos militares, descobriram que as forças de operações especiais dos EUA – incluindo Navy SEALS, Army Green Berets e Marine Raiders – oferecem um estudo de caso sobre as melhores práticas para conquistar e recrutar talentos no mundo dos negócios. Escrevendo em parceria com Josh Cotton, os autores trazem décadas de experiência em gestão de talentos – e uma riqueza de histórias – nessa valiosa leitura para profissionais de RH.

Resumo

Os militares do Comando de Operações Especiais dos EUA (USSOCOM) são especiais porque o seu pessoal é especial.

Em 2007, Mike Day, um antigo SEAL da Marinha dos EUA, estava em uma missão para capturar um líder da Al-Qaeda na província de Al Anbar, no Iraque. Durante esta operação perigosa, quatro terroristas abriram fogo em pleno dia. Ele atirou de volta e matou dois terroristas antes que uma granada inimiga o derrubasse. Os dois terroristas sobreviventes atiraram nele 27 vezes.

O equipamento de proteção de Day desviou 11 balas, mas 16 o atingiram, deixando-o inconsciente enquanto os terroristas continuavam a atirar em seu pelotão SEAL.

Embora gravemente ferido, Day recuperou a consciência e conseguiu atirar e matar os dois terroristas restantes que estavam esmagando o seu pelotão. De alguma forma, Day conseguiu evacuar as vítimas. Quatro meses depois, após extensa recuperação, ele voltou ao serviço ativo. Ele assumiu o comando de um grupo de treinamento avançado SEAL, mais uma vez colocando sua resistência, espírito, resiliência e determinação para trabalhar.

Os SEALS fazem parte do Comando de Operações Especiais dos EUA (USSOCOM, da sigla em inglês). ...

Sobre os autores

Mike Sarraille é CEO da EF Overwatch, uma empresa de busca de executivos e consultoria de talentos, onde George Randle, chefe de aquisição de talentos globais na Forcepoint cybersecurity, atua como consultor estratégico.


Comente sobre este resumo

Mais deste tópico

Os clientes que leem esse resumo também leem