Resumo de Aberta aos Negócios

Procurando pelo livro?
Nós temos o resumo! Obtenha os insights principais em apenas 10 minutos.

Aberta aos Negócios resumo de livro
Comece hoje:
ou conheça os nossos planos

Avaliação

8 Geral

8 Aplicabilidade

8 Inovação

8 Estilo


Recomendação

Agora, as linhas aéreas e de cruzeiros e as empresas hoteleiras dos EUA podem fazer negócios através do Estreito da Flórida, em Cuba. Elas não devem esperar lucros fáceis, defende Richard E. Feinberg, da Brookings Institution, nesta abordagem lúcida aos desafios e oportunidades que Cuba apresenta. É muito difícil trabalhar com o governo cubano, pois ele leva muito tempo a tomar decisões. O controle estatal dos salários significa que os trabalhadores cubanos podem não aceitar as formas de motivação habituais. Feinberg não dá conselhos sobre como fazer negócios em Cuba, mas ele faz reflexões úteis sobre as vantagens e desvantagens de investir lá. A getAbstract recomenda o estudo de Feinberg aos investidores, empresários, consultores e empresas que estão considerando fazer negócios com e em Cuba.

Neste resumo, você vai aprender:

  • O que tem acontecido com os consórcios (joint ventures) de investidores estrangeiros com o governo cubano;
  • Os riscos dos negócios com Cuba e
  • Quais três vias futuras poderão definir a economia cubana.
 

Sobre o autor

Richard E. Feinberg, que foi assessor especial do Presidente Bill Clinton, é pesquisador da Iniciativa para a América Latina, da The Brookings Institution, e professor na Universidade da Califórnia, em San Diego.

 

Resumo

O embargo

Nos anos de 1950, empresas americanas forneciam eletricidade e serviços financeiros em Cuba e tinham propriedades lá. Os turistas chegavam a Havana de avião ou de navio, e americanos famosos eram estreitamente ligados a Cuba. Ernest Hemingway viveu lá, e John F. Kennedy e Frank Sinatra visitavam a ilha. Chefes da máfia americana e figuras do crime, como Meyer Lansky, possuíam hotéis lá. Com a revolução de 1959, Cuba, estimulada pela retórica antiamericana de Fidel Castro, expropriou os bens que pertenciam a estrangeiros.

A crise dos mísseis de Cuba, em 1962, foi o momento mais perigoso da Guerra Fria. As relações, antes amistosas, dos EUA com Cuba foram congeladas. Durante décadas, o embargo econômico dos EUA impediu quase todo o comércio com Cuba, exceto viagens em pequena escala e ajuda humanitária. Nos anos de 1990, os candidatos às eleições presidenciais nos EUA dependiam do voto dos cubanos-americanos no sul da Flórida para ganhar as eleições. Os expatriados cubanos queriam manter o bloqueio e, por isso, Bill Clinton e os seus predecessores mantiveram o embargo. Porém, em 2014, uma enquete mostrou que mais de dois terços dos cubanos-americanos de Miami...


Mais deste tópico

Os clientes que leem esse resumo também leem

Acordos Quase Impossíveis
8
O Grande Nivelador
8
Nação Petrolífera
8
Vontade Inabalável
7
Apenas se Vive uma Vez
8
O Fim do Século Asiático
8

Canais Relacionados

Comente sobre este resumo