Resumo de Cultura de Conexão, 2ª Edição

Procurando pelo livro?
Nós temos o resumo! Obtenha os insights principais em apenas 10 minutos.

Cultura de Conexão, 2ª Edição resumo de livro
Comece hoje:
ou conheça os nossos planos

Avaliação

9

Qualidades

  • Aplicável
  • Exemplos Práticos
  • Cativante

Recomendação

O especialista em engajamento de funcionários Michael Stallard e seus colaboradores – Todd W. Hall, Jason Pankau e Katharine P. Stallard – abordam o impacto do coronavírus nos trabalhadores que já sofrem de solidão e desconexão. Eles fazem um apelo apaixonado e inteligente para que se priorize o pertencimento e a conexão organizacional, em prol da saúde e produtividade dos trabalhadores. Combinando ciência, estatísticas do local de trabalho e dados médicos, este livro instigante mostra que a “conexão social” é uma necessidade humana e corporativa fundamental.

Sobre o autor

Michael Lee Stallard é cofundador e presidente das firmas de coaching e treinamento de lideranças E Pluribus Partners e Connection Culture Group. Ele contou com a colaboração de Todd W. Hall, professor de psicologia na Biola University; Jason Pankau, professor; e Katharine P. Stallard, sócia do Connection Culture Group.

 

Resumo

As pessoas estão sofrendo de uma epidemia de isolamento, a qual a COVID-19 apenas exacerba.

A pandemia do coronavírus tem amplificado os desafios de manter a conectividade e o pertencimento no local de trabalho. O estresse e o isolamento dos funcionários agora afetam mais de dois terços dos trabalhadores nos Estados Unidos.

Os líderes devem tomar medidas intencionais e construir uma “cultura de conexão”, para o bem das suas organizações e da saúde dos seus trabalhadores.

Conexões entre as pessoas melhoram os níveis de saúde, felicidade e resiliência.

As pessoas conectadas socialmente afastam o estresse e as doenças de maneira mais eficaz, preocupam-se menos, mantêm-se mais alertas e sofrem menos com problemas cardíacos. No trabalho, relacionamentos sólidos levam a um maior engajamento e produtividade. Organizações que criam uma cultura de conexão desfrutam de uma produtividade e lucratividade significativamente maior do que aquelas com culturas de controle que enfatizam a hierarquia, ou mesmo as culturas laissez-faire que concedem ampla autonomia enquanto se concentram nos resultados.

Os funcionários apresentam sete necessidades específicas...


Mais deste tópico

Os clientes que leem esse resumo também leem

O Líder do Futuro
9
Aprimore Suas Reuniões Virtuais
8
Liderança Humilde
8
A Organização Centrada na Experiência
6
O Líder de Longa Distância
8
Construindo o Engajamento
7

Canais Relacionados

Comente sobre este resumo