Resumo de Equipes Solidárias

Procurando pelo livro?
Nós temos o resumo! Obtenha os insights principais em apenas 10 minutos.

Equipes Solidárias resumo de livro
Comece hoje:
ou conheça os nossos planos

Avaliação

-

Qualidades

  • Aplicável
  • Para Iniciantes

Recomendação

A ascensão da tecnologia tem marcado o nosso tempo. A rede mundial de computadores foi criada no período da Guerra Fria para atender aos objetivos militares, em especial dos norte-americanos, mas logo depois passou a ser um dos meios de comunicação mais importantes. Hoje ela é utilizada por boa parte da sociedade, atendendo a múltiplas demandas e alterando a forma de interação entre as pessoas. Nesse livro, Renata Di Nizo atenta para essa nova realidade social, discute a interferência na forma de sociabilidade e busca promover um pensamento que vem sendo esquecido que é o de sentir-se parte de um grupo. Ela mostra porque é importante valorizar o coletivo e prosperar em grupo em vez de prosperar sozinho. 

Sobre a autora

Renata Di Nizo é formada pela Escola Superior de Arte Dramática de Barcelona. Fundou a Casa da Comunicação em 2000, uma empresa especializada em aprendizagem voltada à expressão criativa e ao diálogo multicultural. 

 

Resumo

Os grupos são um conjunto de experiências que se desafiam e formam as multiculturas​​​​​​.

Uma característica que pode ser facilmente percebida na vida moderna é que mesmo num mundo cada vez mais interconectado, a solidão tem sido um dos sentimentos mais recorrentes atualmente. Exemplo disso é a maior quantidade de queixas clínicas de sintomas como ansiedade e depressão.

As pessoas interagem através dos aplicativos e todas as outras ferramentas proporcionadas pela tecnologia, mas é uma interação que muitas vezes se limita a uma agitação virtual. Essas pessoas, por dentro, sentem um vazio.

O ser humano tem como uma das características a necessidade de fazer parte de um coletivo, um dos vários exemplos disso foi a luta pela derrubada do muro de Berlim. Portanto, temos uma necessidade do sentimento de aconchego e de aceitação que se dá por meio da ideia de fazer parte de um grupo, de coletividade. Entretanto, para viver em coletividade é preciso assumir um compromisso que, na verdade, é um desafio crucial para a vida em sociedade e para o próprio amadurecimento pessoal que consiste em aprender a adaptar-se às mudanças.


Mais deste tópico

Os clientes que leem esse resumo também leem

O Líder Introvertido
9
Neurociência para Coaches
8
A Transição para o Oceano Azul
9
Empresas Espiritualizadas
8
Consciência dos Dispositivos
7
Ética, Mídia e Comunicação
9

Canais Relacionados

Comente sobre este resumo