Recomendação de Falando com Estranhos

Procurando pelo livro?
Nós temos o resumo! Obtenha os insights principais em apenas 10 minutos.

Falando com Estranhos resumo de livro
Comece hoje:
ou conheça os nossos planos

Avaliação

9

Qualidades

  • Revelador
  • Exemplos Práticos
  • Cativante

Recomendação

Esse trabalho do autor bestseller Malcolm Gladwell sobre interações entre estranhos inclui várias histórias de casos fascinantes, em especial a sua reconstituição do caso do assassinato de Amanda Knox. Com base em vários outros exemplos, incluindo interrogatórios da CIA e interações com agressores sexuais, Gladwell ilustra aspectos surpreendentemente complexos da dinâmica entre estranhos. A sua descrição comovente do encontro de Sandra Bland com um policial do Texas em 2015 transmite a sua mensagem como um soco no estômago. O alerta de Gladwell é alto e claro: não dê nada por garantido ao conversar com estranhos.

Sobre o autor

Os aclamados livros anteriores do autor canadense Malcolm Gladwell incluem O Ponto da Virada, Blink: A Decisão Num Piscar de Olhos, Fora de Série: Outliers, Davi e Golias e O Que Se Passa na Cabeça dos Cachorros – todos bestsellers do The New York Times. Ele é o anfitrião do podcast Revisionist History.

 

A maioria das pessoas, incluindo especialistas, não sabe ler muito bem os estranhos.

Gladwell descreve o quão a sério a Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA) leva a mentira e sua detecção. Alguns agentes estudam o comportamento de outros funcionários da CIA para descobrir traidores. No entanto, ele afirma que de acordo com seu tema principal, a CIA falha repetidamente em detectar pessoas que a estão espionando. Durante a Guerra Fria, por exemplo, o autor relata que praticamente todos os agentes da CIA em Cuba e no bloco soviético atuavam como agentes duplos espionando o inimigo.

Gladwell oferece o exemplo de juízes que decidem conceder ou negar fiança aos acusados de crimes. Os juízes ouvem advogados, leem os arquivos dos casos e avaliam as pessoas acusadas. Os juízes também podem tirar a sorte com uma moeda. Algoritmos baseados em inteligência artificial podem prever quem vai cometer crimes sob fiança com maior precisão do que os juízes.


Mais deste tópico

Os clientes que leem esta resenha também leem

Vendas Disruptivas
7
Ética, Mídia e Comunicação
9
Criando um Local de Trabalho Livre de Dramas
8
Qual É a Sua Vantagem Competitiva?
9
Política do Futuro
9
A Potência das Microtendências
8

Canais Relacionados

Comente sobre esta resenha