Resumo de Por que você acha que está certo, mesmo quando está errado?

Procurando pelo vídeo?
Nós temos o resumo! Obtenha os insights principais em apenas 10 minutos.

Por que você acha que está certo, mesmo quando está errado? resumo
Comece hoje:
ou conheça os nossos planos

Avaliação

7 Geral

8 Aplicabilidade

7 Inovação

7 Estilo

Recomendação

Defender suas crenças tão veementemente, como um soldado, coloca novas ideias ou dados conflitantes ao que você pensa como o inimigo. A especialista em racionalidade Julia Galef sugere adotar a mentalidade do batedor para examinar o mundo objetivamente, em vez de usar um modo defensivo. Usando o caso Dreyfus como uma história preventiva, Galef mostra o que acontece quando você aplica a “tendência cognitiva” em vez de ver o que está em sua frente de maneira imparcial. A getAbstract abraça esta conversa como um lembrete de boas-vindas para quem quer manter uma mente aberta e resistir à tendência de demonizar aqueles com crenças diferentes.

Neste resumo, você vai aprender:

  • No que implicam a “mentalidade do soldado” e a “mentalidade do batedor”;
  • Como essas mentalidades afetam a maneira como as pessoas processam a informação e fazem julgamentos; e
  • Como o caso Dreyfus serve como uma história preventiva.
 

Sobre o Palestrante

Julia Galef é a cofundadora do Center for Applied Rationality (Centro de Racionalidade Aplicada) e hospeda um podcast chamado Rationally Speaking (Falando Racionalmente).

 

Resumo

No calor de uma batalha, um soldado experimenta fortes sentimentos de autoproteção e de agressão em relação ao inimigo. Batedores do exército, por outro lado, não atacam ou defendem, mas procuram compreender. Eles examinam o campo de batalha e mapeiam a paisagem com a maior precisão possível.

Saiba os pontos essenciais deste vídeo em 10 minutos.

Para você

Encontre o melhor plano de assinatura para você.

Para sua empresa

Construa uma cultura de aprendizagem contínua.

 ou faça o login

Comente sobre este resumo

  • Avatar
  • Avatar
    MARCO ANTONIO CORREA DA SILVA JUNIOR . 11 meses atrás
    Ver as coisas como elas são e não como queremos que elas sejam.
    Isto deve ser um exercício diário para que criemos o hábito desta difícil tarefa de enxergar as coisas sem os nossos "óculos".

Mais deste tópico

Os clientes que leem esse resumo também leem

Mais por categoria