Resumo de Quando Criamos Design para Pessoas com Deficiência, Todos Ganhamos

Procurando pelo vídeo?
Nós temos o resumo! Obtenha os insights principais em apenas 10 minutos.

Quando Criamos Design para Pessoas com Deficiência, Todos Ganhamos resumo
Comece hoje:
ou conheça os nossos planos

Avaliação

7

Qualidades

  • Eloquente
  • Cativante
  • Inspirador

Recomendação

Os deficientes se tornam verdadeiros hackers devido às circunstâncias. Por viverem em um mundo que ignora as suas dificuldades, eles precisam se adaptar e buscar novas maneiras de prosperarem em um ambiente pouco acolhedor. Elise Roy, ela própria uma deficiente auditiva, tornou-se defensora dos direitos humanos e promotora da ideia do design thinking. Esta ferramenta adota a perspectiva e a mentalidade únicas das pessoas com necessidades especiais – permitindo que sejam capazes de enfrentar os maiores desafios do mundo – e gera produtos e serviços que funcionam para todos.

Sobre o Palestrante

Elise Roy trabalhou na Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, que foi ratificado em 2007. Ela é palestrante motivacional e atua como defensora de um design thinking que beneficie a todos.

 

Resumo

O design thinking pode de melhorar a vida de todas as pessoas, com ou sem deficiência.

Quando, aos 10 anos, Elise Roy soube que acabaria eventualmente perdendo a audição, ficou assustada, mas com o tempo, ela aceitou o diagnóstico e agora acredita que a surdez foi uma espécie de presente. Roy tornou-se advogada e inicialmente focou sua carreira na luta pelos direitos das pessoas com deficiência. Ela até ajudou a elaborar políticas internacionais nas Nações Unidas. Mais tarde, porém, ela descobriu uma ferramenta que exercia ainda mais poder do que boas políticas para melhorar a vida das pessoas que viviam com ou sem deficiência: o design thinking.

Criar projetos especialmente para pessoas com deficiência, em vez de adaptar os produtos já existentes para os deficientes, produz soluções que acabam beneficiando a todos. Eles têm o poder de mudar uma mentalidade de tolerância para uma mentalidade de aceitação e inclusão. O processo de design thinking tem cinco etapas: em primeiro lugar, defina o problema e descreva suas limitações. Em segundo lugar, observe como o problema interfere na vida das pessoas. Em terceiro...


Mais deste tópico

Os clientes que leem esse resumo também leem

Liderança Focada nos Sistemas
7
Promovendo a Disrupção da Deficiência
8
Por Que o Design Deveria Incluir Todos
9
Para Criar Melhores Tecnologias, É Preciso Entender o Contexto
8
Qual é o significado do trabalho?
Uma Falha da Imaginação
7

Canais Relacionados

Comente sobre este resumo