Resumo de A Economia do Bem e do Mal

Procurando pelo livro?
Nós temos o resumo! Obtenha os insights principais em apenas 10 minutos.

A Economia do Bem e do Mal resumo de livro
Comece hoje:
ou conheça os nossos planos

Avaliação

8

Qualidades

  • Analítico
  • Inovativo
  • Panorama Geral

Recomendação

Esta investigação da história filosófica da análise econômica procura iluminar e avivar este campo de estudo. A matemática reduziu a economia a fórmulas amorais ao invés de estimular o debate sobre o que distingue as ideias econômicas certas das erradas. As crenças míticas e religiosas e os limites de descobertas científicas deram origem a muitos preconceitos que acabaram moldando a economia moderna. O professor Tomas Sedlacek afirma com muita persuasão que os economistas geralmente não medem o impacto da emoção como força motriz nas tomadas de decisão. Ele mostra por que a sociedade se beneficiaria de uma melhor compreensão dos conceitos não quantitativos que historicamente têm caracterizado o pensamento econômico: o bem e o mal. A getAbstract recomenda este livro rico e substancial (mas não tão fácil de ser lido) aos que conhecem os conceitos econômicos e desejam equilibrar a sua base matemática com uma visão histórica das raízes da economia, filosofia, religião, teologia e outros campos de estudo.

Sobre o autor

Tomas Sedlacek é membro do National Economic Council em Praga e dá palestras na Charles University.

 

Resumo

A Ética da Economia

A falta de conexão analítica dos economistas com a realidade é uma das razões porque eles falham sistematicamente em prever o futuro, bem com explicar eventos passados. Por exemplo, as divergências continuam sobre o que causou a Grande Depressão de 1930. A crise financeira global de 2008-2009 também mostra a incapacidade dos economistas em prever os grandes perigos e encontrar maneiras de evitá-los ou amenizar seu impacto. Um retorno à realidade obrigaria a economia a voltar às raízes filosóficas e diminuir a sua ênfase matemática. Hoje, a elegância numérica exige modelos simplificados de realidade. Por exemplo, os economistas costumam usar apenas algumas variáveis para elucidar trabalhos matematicamente intensivos. Para fins de análise, eles assumem que quando apenas uma ou duas variáveis mudam, o conjunto de outras variáveis não se alteram. Essa crença, chamada de ceteris paribus ou “tudo o mais permanece constante”, ignora o “mundo real”. O utilitarismo universal, que afirma que as pessoas agem apenas para benefício próprio, é outra suposição analítica moderna discutível e nega o impacto dos comportamentos altruístas.

A matemática soterra...


Mais deste tópico

Os clientes que leem esse resumo também leem

Narrativas e Números
8
Vontade Inabalável
7
Tomando Decisões Eficazes
10
Tecnologias Radicais
9
Política do Futuro
9
Irã
7

Canais Relacionados

Comente sobre este resumo